Aquele momento em que você está vendo monotonamente páginas e páginas da internet e, de repente, algo fisga sua atenção. Foi basicamente assim que conheci as obras ilusórias do artista canadense, Rob Gonsalves. Suas obras me cativaram logo de cara, e cá estou compartilhando na coluna de Arte.

Para começar, o interesse de Rob pela arte e pintura surgiu durante a sua infância. Com 12 anos, ele já tinha experiências com as técnicas e perspectivas da arte arquitetônica, fazendo assim com que a ilusão de ótica tornasse a sua característica e identidade no decorrer dos anos.


Quem é você, Alasca? primeiramente me intrigou, positivamente digo, por seu título com um ar de mistério (na versão brasileira, pois o título original é Looking for Alaska, mas ainda assim, não perde tanto o ar misterioso). Uma das coisas que vieram na minha cabeça quando li o título do livro, foi a famosa pergunta filosófica: Quem somos? De onde viemos? E para onde vamos? Sei que isso não tem nada a ver com o enredo da história, mas continuemos: Milênios se passaram e ninguém chegou à conclusão alguma para essa pergunta filosófica, e tirando o fato de que, quando nos aventuramos em descobrir “Quem é você? Quem sou eu?”, no sentido mais profundo da palavra, não chegamos mesmo à uma resposta concreta além do óbvio, pois o ser humano vive em constante mudança, não sabendo identificar direito o que há em seu interior além do físico. E foi assim que me vi, saindo em busca de um grande talvez. Afinal, quem era Alasca, de onde ela veio e para onde irá?