Em busca de uma arte expressiva, com várias cores alegres, acabei por achar um artista extremamente talentoso, com suas obras ainda mais maravilhosas: Leonid Afremov. Leonid é um pintor Israelense de origem Bielorrussa, que é bastante reconhecido através de suas pinturas coloridas e alegres, além de sua técnica utilizada: simplesmente uma espátula para pintura e tinta a óleo.

Procurando sua história, para saber como começou a se envolver com a arte da pintura, descobri coisas interessantes. Inicialmente, Afremov trabalhava pintando pôsteres de propaganda para o governo comunista, descontente por ter o governo lhe ditando como pintar e detalhar seus feitos, mudou-se para Israel.


Recentemente aconteceu uma par de coisas e, apareceram mil obrigações e compromissos que não tive muito tempo para desfrutar de um bom livro. E para aqueles, assim como eu, que não estão conseguindo realizar uma boa leitura, e até mesmo estando com ressaca literária, resolvi organizar algumas pequenas dicas que, podem ou não, ajudar perante esses pequenos obstáculos do dia a dia que nos impedem de ler.


Que tal estipularmos um tempo para o tempo?

Eu particularmente, gosto de ler em qualquer lugar, porém tranquila, sem que nenhuma obrigação importante fique pendente. Então, sempre começo com minhas as obrigações, como tarefas, trabalhos, arrumar a casa e etc., para assim ver se há uma possibilidade de leitura. E se houver a possibilidade de ler, sempre coloco no despertador do celular, um horário estimado para a pausa da leitura.


John Green possui uma “tática” interessante para poder definir e especializar seus livros: criando personagens cativantemente nerds. E claro, com o Teorema Katherine não podia ser diferente. Apesar das opiniões dos leitores em geral afirmar que este foi o livro mais fraco do autor, a minha impressão foi bastante positiva, se tornando o meu preferido logo nas primeiras páginas.

Afinal, de onde surgiu esse “O Teorema Katherine”? E é agora que eu lhes apresento Colin Singleton. Colin é um garoto que leva uma vida um tanto estranha, além de toda a sua inteligência, que o faz ser considerado prodígio desde criança, ele possui uma mania de criar anagramas, e também, por mais esquisito que possa parecer, namorar somente Katherine’s. Sim, escrito exatamente dessa forma: K-A-T-H-E-R-I-N-E.


Para começar, acho importante abordar o tema que vem trazendo muitas discussões nas redes sociais ultimamente: a modinha. “Ler virou modinha”; “fulano nem lê, só quer se exibir com o livro”; “só começou a ler porque virou modinha” são uns dos principais argumentos para tentar explicar o sucesso repentino de A Culpa é das Estrelas, é perceptível que existem pessoas que adquirem o exemplar apenas por status, mas ainda assim, isso pode despertar seu interesse em lê-lo. Minha posição em relação a isso é: se modinha for ruim, nenhum livro é modinha, e sim apenas uma boa história que uma pessoa lê, indica para outro que vai indicando e enfim, o livro se torna o sucesso do momento. Afinal, uma boa história sempre atrai muitos leitores, o gosto é relativo e ler nunca é demais.


A Menina que Roubava Livros, a princípio, chamou a minha atenção em um ponto específico: a narração. O livro é narrado em Terceira Pessoa, mas a parte interessante é que, quem nos conta a trama toda é a Morte, um(a) narrador(a) observador(a) simples, e se possível, simpática, um espectro que gosta de nomes, cores e que sente temperaturas. Esse é um aspecto que trouxe um ar mais poético para a obra, que se passa em plena Segunda Guerra Mundial, despertando assim meu interesse.

Decididamente, eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo.


O Sonhos de Letras não é o meu primeiro Blog, criei vários Blogs por aí com vários assuntos em específicos, e apesar de serem sempre temas de que eu gostava bastante, não me sentia satisfeita e a falta de personalidade também me intrigava, até que por fim, apaguei todos eles e fiquei por fora de todo esse mundinho de Blogosfera.

Blog e afins, a princípio, não era algo que chamava minha atenção, até que os meses que fiquei sem interagir com veículos do tipo me fizeram notar a falta que fazia, pois, por mais que eu não faça posts diários ou com alguma data fixa, eu queria ter um lugar onde eu pudesse compartilhar todas as coisas que me desse na telha, já que me expresso melhor escrevendo do que falando.

Estava com um pé atrás, até que incentivos para eu criar um Blog novo surgiram, me encorajando a levar em frente o que queria. Foi difícil escolher um nome, já que ele deveria ter uma relação com minha personalidade, todos os que eu selecionava já existiam. Num dia de chuva, em meios aos devaneios, estava eu a pensar que, meus sonhos são guardados como letras na minha mente, e foi assim que este Blog recebeu o nome de Sonhos de Letras.

No SdL, abordarei diversos temas que me agradam ou convém no momento, como livros, filmes, animes, mangás, músicas, decoração, fotografias, viagens e muitos outros, espero que vocês gostem!

Para quem quiser saber mais sobre o Blog, ou até mesmo sobre mim, é só clicar aqui.


Carpe Diem